Casuística
a
artes antiartes heterodoxias

Anterior
? Capa
Também lhenteressam das coisas
aquilo que elas não são.

Não sei...
Somos formas de vida,
mas tão diferentes!
Meu lar,
o carrego comigo
num rito solene.
O encontro que deve ser marcado
a qualquer hora mencanta!
Nem passo às clareiras do bosque
por mesmo qu'instantes;
o gozo intergaláctico do sol não jorra
ao vácuo do tempo
sua porra fotônica
como seiva pinga
e mel-armadilha prinsetos metonímicos ---
não mais ao abrigo da sombra
ao totem pau-brasílico que centro bosque.

Ele me conta das coisas que não são,
mas que devem ser,
necessariamente,
dos lugares onde passo tempo
da linha da vida de que fora
passo tempo a ter recheio,
diz ele, mais-dimensional ---
Que os egípcios encarnavam,
no tempo discreto,
o ponto com vetor tangente;
diz ele co corpo
se move ca vibo livre arbítrio
das forças.

Me chega tão discurso comem grego...
Chega a mim, não chego a eu!
Jorrava prele de mim comem fluxo,
sem queu precisasse
emprender o comércio.
Mas ele não deixou-se lambuzar-se
pela seiva minha...
O queu quero ver nos outros ---
sua subjetividade.
Nunca sobjetividade;
não precisa.
8
Contato Lista de Email Edições anteriores Blogue da Casuística

Próxima